Saudades do vô

sábado, 2 de maio de 2009

Ontem meu vô querido visitou meus pensamentos depois de muito tempo. Estava no supermercado comprando pães com o Rob e comecei a falar rpa ele que me avô fazia pães, que eram deliciosos... e meu coração se apertou.
Voltei pra casa e novamente vieram lembranças tão claras, tão marcantes dele.
Lembrei de um fato muito simples, singelo mas que era diário, como escovar os dentes.
Quando meus avós vinham visitar nossa casa era algo muito legal.
Todas as manhãs, quando eu acordava corria para uma área da casa onde pegava o gostoso sol da manhã. Sabia que meu vô estaria por lá, ouvindo uma música e fechando seus cigarros.
Minha mãe e minha vó até brigavam com ele, julgando que o fato dele enrolar os fumos me incentivaria ao cigarro.
Até hoje nunca fumei!
Ficávamos os dois, ao sol, enrolando cigarro e cantando, rindo...
Meu vô gostava de me contar muitas histórias, principalmente de terror ou histórias da vida dele.
Era uma briga ter que ir tomar banho pra ir pra escola, almoçar ou qualquer outra coisa: eu sempre queria ouvir mais!
Meu vô também foi uma pessoa danada. Gostava de uma pinga ou de uma cervejinha. As vezes, exagerava na dose e..porre na certa. Mas nem os porres, nem o cheiro forte e embriagante da cachaça me afastavam dele. Ao contrário, me aproximava mais dele e ele, naquele estado me fazia rir.
O presente mais bacana que meu vô me deixou foi o gosto pela leitura. Ele vivia lendo tudo, qualquer coisa que aparecesse na frente, já estava devorando. Sou assim. Cópia idêntica.
Mas...
meu vô se foi faz tempo.
Eu era tão pequena.
Não entendia muitas coisas ainda.
Queria tanto ter perguntado se ele preferia noite ou dia, praia ou montanha, qual livro ele mais gostou de ler, que filme era seu preferido...

Mas não deu!

Saudades de ti vô querido, com quem eu tanto aprendi.
O cheiro do fumo, o som das risadas e cantorias, permanecerá enternamente em mim.
Saudade Gigantesca...

5 SERES IMAGINÁRIOS:

Míope disse...

Ê saudade!

"Só se tem saudades do que é bom"

Gosto bastante desse tipo de texto sincero, traz vida pra gente. Muito bom!

Desculpa pela demora, você me visitou faz algum tempo (Obrigado!)...
Mas eu tava meio que longe...

Voltei!
Bejo!

Mundo selvagem disse...

Tenho os mesmos sentimentos.....

Gabi disse...

Lindo texto. O sentimento me é conhecido, mas relacionado à minha avó, que se foi já faz 9 anos, e mesmo assim lembro dela seguidamente, a qualquer cheiro, som ou sol que me lembre a infância. Um beijo!

Flavinha disse...

Bá Marylda, muito tocante teu post, tenho certeza que todos temos memórias de momentos que deixaram marcas semeslhantes à essas tuas...
BjãoO ^_^

Maíra Brito disse...

ois!
adorei seu blog!
vou me conectar com ele e com suas idéias!
=)
bjosss

 
Design by Pocket